quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A fotografia digital e os benefícios em prol da Humanidade

FOTOGRAFIA




Na minha vida privada actual, o meu hobby, ou para não usar estrangeirismos, - uma das minhas actividades preferências, - é a fotografia de elementos da Natureza; paisagem, vida animal, vida aquática, vida das aves, enfim, de elementos que necessitam de defesa, como a floresta, os cursos de água, o meio ambiente, em resumo, a defesa do Planeta.
Igualmente, entendo ser proveitoso fotografar as cidades, todos os centros populacionais e, o que aí existe de belo, de progresso, de estruturas, monumentos edificados, edifícios ou esculturas, curiosidades; igualmente, tendo em consideração a mais valia que para tal esteja a contribuir para a protecção do património da Humanidade.

Para a colheita dos elementos de trabalho, - as fotos, - que depois vão ser trabalhadas e expostas, vou à sua procura, tendo, para tal, que viajar para lugares distantes em vários meios de locomoção e, daí a pé. Para estas “expedições”, além da viatura ligeira automóvel, também uso a autocaravana, moto 4, - para montes e serras, - barco, - em vias fluviais, - comboio e, também, já o avião. Grande parte dentro do território Nacional, mas, já algumas vezes, para o estrangeiro. Muitas vezes, os meios de transporte são múltiplos e variados em cada saída e para cada situação. Graças a estes, nos dias de hoje, torna-se muito mais fácil a deslocação e a locomoção comparativamente a épocas transactas, conforme já descrevi também no trecho que elaborei na parte correspondente à minha vida profissional, na passagem sobre a vida do viajante “Zé”.

A última saída para aquela tarefa de colher fotos foi para a Província do Minho e Alto Minho: Viana do Castelo, Melgaço, Serra da Peneda e Santuário da Peneda, aldeia de Lamas de Mouro, vale glaciar da Serra da Peneda e sua lagoa natural e as correspondentes Inverneiras e Verendas de cada povoação. E, também para Ponte de Lima, Messegães, além de todo o Grande Porto, - Gaia e Matosinhos.
Foi muito diversificada a série de fotos:
Em Viana do Castelo: 1 – Representantes do Minho; 2 – Tecedeira (tear) ; 3 - Templo de Santa Luzia; 4 – Igreja do Campo da Agonia; 5 – Navio Hospital Gil Eanes (este navio-hospital deu apoio e foi o hospital em mar alto nos mares da Gronelândia para os pescadores Portugueses em campanha na pesca do bacalhau, - quando Portugal era um Império e tinha permanentemente frotas em campanha nos mares do Norte. Ele, lá, permaneceu durante longos anos). 6 – Capela S. Bento 7 – Palacete 8 – Igreja Paroquial em Seixas – Caminha; 9 e 10 - do Minho, para as senhoras trouxe e ofereço flores. 11 – Quando Maomé não vai à montanha, vem a montanha a Maomé e, eu não fui ao Equador, (músicos típicos do Equador com sua música característica) em Melgaço; 12 e 13 –Bonecos insufláveis ofereço às crianças; 14 – Instrumentos típicos do Minho (vai haver cantigas ao desafio e música tradicional Minhota: Viras, chulas, etc). 15 –Rio Minho, para nascente: Estão em perigo os rios e cursos de água no Minho, um dos poucos locais do país onde ainda estão resguardados da poluição, por enquanto, devido à existência de poucas indústrias poluidoras. É necessário, manter a todo o custo uma política de preservação do meio ambiente. É ainda mais necessário, ter em atenção as provocações ambientais vindas do país vizinho – Espanha, - no sentido de não permitir faltas às normas da União Europeia no tocante à política da água e cursos de água que, muito a Norte vêm na generalidade dali. 16 – Estão em vias de extinção os moinhos de água e as casas de moleiro.



Melgaço é uma Vila com muita beleza natural, bem no Norte de Portugal. Muito asseada, onde ainda se vêem muitas habitações ajardinadas, mesmo no centro.
Por assim dizer, terá dois centros; o centro histórico, onde estão as muralhas, a torre de menagem, a Igreja antiquíssima e as ruas estreitas ladeadas de pequenas casas, algumas de épocas muito remotas, mesmo talvez dos primórdios séculos da sua fundação e outras casas do séc XVIII ou XIX , solares ou casas solarengas e, o novo centro, mais moderno, de novos edifícios e novas ruas e avenidas rasgadas através de quintas e quintais que o foram.
É muito pequena, aconchegada, com pouca população, pouca indústria. Os campos e as quintas estão a ficar ou já estão sem serem cultivados, à excepção dos solares com suas propriedades agrícolas de vitivinicultura do famoso vinho “Alvarinho” mas, estes já mais fora e afastados da Vila.


A Serra da Peneda é de uma beleza inimaginável. Só visto. Agreste. Com grandes penedos nos picos ou nas partes mais elevadas; talvez por isso lhe advenha o nome.
Nas zonas mais baixas, - nos vales, - existe muita florestação de variadas e únicas espécies. Muitas destas espécies, em vias de extinção e, daí também em vias de extinção muitas das AVES que ali encontram o seu habitat há muitos milénios: A águia, a aguia - real, o falcão, o cuco, o pica – pau, o corvo, o mocho e muitas outras, às dezenas, que o Parque Nacional da Peneda publicou em livro e que serão mais de centena e meia.
Com poucas estradas, (ainda bem e a bem da sua perseveração) apenas duas principais que se cruzam: Melgaço - Nª Sª da Peneda e Castro Laboreiro – Arcos de Valdevez.

Para quem quer conhecer melhor a serra, recomendo que desmonte do automóvel e vá a pé, por caminhos que ainda existem limpos, bem arranjados e acessíveis, entre arvoredos ou entre penedos e, quem o fizer até sentirá honra em percorrer caminhos milenares; Celtas, Romanos ou Visigodos, que foram através dos tempos dos nossos pentavós.
Ali, encontra quem organize passeios pedestres diurnos e nocturnos, passeios de BTT ou a cavalo, encontro com os pastores.

Poderá ver o cavalo livre, porque não o é selvagem; o gado de grande porte, as aves de rapina e, o prazer maior; falar com as gentes do local que praticam a pastorícia e que conhecem todos aqueles caminhos pedestres.
Pode ouvir a piar o mocho a águia ou outras aves, a coaxar a rã, a guinchar os cavalos, a cantar o cuco e a deliciar-se a ouvir o barulho característico e único do pica – pau no seu trabalho diário de fazer buraco em árvore. Já ouviu ?
E, se gosta de ar livre, experimente ficar a dormir umas noites em plena floresta, mas, protegido, no Parque de apoio ao campismo do Parque Nacional Florestal da Peneda. É deslumbrante acordar a ouvir sons que até ali nunca ouvimos. Eu experimentei essa fantástica realidade: - O pica-pau, como é deslumbrante ouvi-lo a picar.


Santuário de N. Srª da Peneda, no interior de e em plena serra. E lá está o enorme penedo, onde lá em cima tem um fantástico e belo lago que para lá chegar caminhei duas horas acompanhado com pessoas maravilhosas que lá me levaram. Para regresso mais duas horas.
E também pode experimentar fazer escalada, conforme aqui pode ver três autênticos profissionais. Somente, convém primeiro medir a altura porque o tombo é grande.
O caminho pedestre para o lago é através de uma milenária? Bimilenária? estrada, (daquela época) que podem apreciar como é majestosa quão de bela.




A Fotografia a que me dedico é a DIGITAL , de contrário, não seria possível fazer este trabalho em computador que agora estou a processar, ou antes, que terminei e disponho para quem quer.

A fotografia digital é de uma qualidade extrema, limpa, mais fácil de manusear, que dá outras possibilidades que com a fotografia analógica não há hipótese de se conseguir.
O equipamento de fotografia digital, - as máquinas digitais, - são de maior fiabilidade, hoje totalmente computorizadas e, as de última geração são autenticas preciosidades de obter fotografia.
É constante a renovação dos modelos das máquinas digitais que, cada vez mais sofisticadas, conseguem obter já a perfeição a cem por cento, mas, a ciência tecnológica a técnica, a engenharia informática, a engenharia electrónica a robótica e as novas tecnologias, não param, pelo que, novas máquinas aparecerão com cada vez mais avançadas possibilidades.

Apetrechos e software igualmente estão em constante aperfeiçoamento que vão complementar e aperfeiçoar aquilo que é já considerado absolutamente perfeito; A máquina Fotográfica Digital.


A fotografia analógica caiu bastante em desuso derivado ao preço da revelação da fotografia, à complexidade do trabalho que dá para a reproduzir e à qualidade, embora hoje encontremos tão boas máquinas analógicas como exactamente o são, comparadas com as digitais. A ciência tecnológica, a electrónica, as novas tecnologias, a robótica e, igualmente a engenharia informática e a engenharia electrónica estão igualmente presentes neste tipo de equipamentos; A máquina fotográfica Analógica.

Qual é então a vantagem da fotografia digital?
A grande vantagem da fotografia digital é o facto de se poder introduzir de imediato no computador e, uma vez nesta maravilhosa máquina, trabalha-la, melhora-la, altera-la.
O armazenamento e o arquivo no computador é outra das vantagens da fotografia digital, além de que, disparar não tem custos adicionais, além do equipamento.
Também não tem custos o seu arquivo e o armazenamento, - para guardar durante a vida, - para futuro, - além de, unicamente ser necessário um capaz disco externo de 1 ou 2 teras. ou, de umas dezenas ou centenas de DVD.
Depois, a divulgação por meios digitais, os sites próprios para galerias, os Blogues e, muitas outras formas.
A internet é, talvez, ou de certeza, hoje, o meio mais usual de divulgar, de expor, fotografias...DIGITALMENTE.
As que faço, exponho, além de neste - blogspot, - em:


majosilveiro

1 comentário:

majosilveiro disse...

VIA MAIL

de teresacom>
para"majosilveiro(Panoramio)" gmail.com>

data16 de Dezembro de 2010 00:13
assunto: Boa viagem ...nesta maravilha
enviado porhotmail.com

ocultar detalhes 00:13 (há 41 minutos)

Estimado Joao, muchas gracias por tan hermoso paseo por ese país tan fantástico que tienes, los lugares y la historia son maravillosos, ha sido un gusto recorrerlo!
Te envío mis mejores deseos de una Feliz Navidad y un muy próspero Año Nuevo, lleno de realizaciones de los sueños y anhelos personales junto a la familia.
Un cariño grande desde la otra orilla!
Teresa