domingo, 25 de abril de 2010

CONHECER MATOSINHOS (1) - PONTE DO CARRO - ENTRE SANTA CRUZ DO BISPO E GUIFÕES - ( MATOSINHOS )





CONHECER MATOSINHOS (1)
*
PONTE DO CARRO
ENTRE SANTA CRUZ DO BISPO E GUIFÕES















































Bem ao fundo da Rua da Porta da Ponte do Carro, que, vai do centro da freguesia de Santa Cruz do Bispo, - rua esta muito típica, “medieval”, entre frondosos eucaliptos e outras frondejantes árvores e verdejantes campos e, bem ao fundo da íngreme rua que do lado da freguesia de Guifões vai, aparece-nos, a salvar-nos da situação para a impossibilidade da travessia de um rio, – o maravilhoso e outrora sumptuodo Leça –, aquela portentosa ponte medieval; a “Ponte do Carro”.
Considerada um ex–Libris do Concelho de Matosinhos, é classificada imóvel de interesse público, - conforme placa existente e lá bem cimentada nos fundos daquela que é considerada Zona de Lazer, também e tão bem, denominada, da Ponte do Carro - ; somente a Câmara Municipal, a única onde a dita ponte está implantada, do Concelho de Matosinhos, não toma muito a sério aquelas bajulações.
Poderia aqui colocar fotografias dos desalinhos existentes no local no que diz respeito a condutas de águas “menos limpas”, - porque tenho vergonha de escrever “águas chocas”, senhor Presidente da Câmara -, mas, prefiro colocar só as fotografias que dela e do sítio – a tal Zona de Lazer - dão um aspecto limpo, arranjado, asseado, sem aquele cano fedorento a despejar água negra, que, conforme outros a montante enegrecem aquele que, ERA o rio que mais bonitas e típicas margens possuía.
Poderia também aqui colocar fotografias da área envolvente, a montante da ponte e do rio, onde, são abastados os silvados e os arvoredos espontâneos, - afinal tudo é verde, - mas, prefiro colocar só fotografias da paisagem mais luxuosa, mais magnificente, mais colorida.
Como esta zona poderia ser tão bela e colorida Senhor Presidente da Câmara do Concelho de Matosinhos.
Mas, afinal, como ela é uma zona tão cinzenta:
Senhores; Primeiros Ministro, senhores Ministros do Ambiente, senhores Presidentes da Câmara, - os vários que por lá já passaram -, não se limitem somente a mandar colocar placas bonitas, que, tão mal vos deixam ficar.
Meia dúzia de quilómetros é a distância que vai da Cidade da Senhora da Hora, via Guifões, até á Ponte do Carro, mas, de carro – não de bois, que foi, possivelmente, o motivo que deu o nome á mesma, – demora a qualquer forasteiro curioso de a ver, pelo menos uma hora para a encontrar, pois que, nem uma única indicação tem pelo caminho até lá chegar. São imensas as ruelas a percorrer e os cruzamentos a dobrar; pior que o dobrar do Cabo da Tormentas e, eu passei-as mesmo, – as tormentas – para a encontrar.
Senhor Presidente da Câmara, por favor, mande colocar uma meia dúzia de placas a indicar aquele que, possivelmente será o ponto de maior interesse turístico de Matosinhos; se retirar-mos o interesse turístico do Rio Leça, perfumado de mal cheiroso, enegrecido como o carvão e das suas margens mal cuidadas.
majosilveiro












2 comentários:

Silvia Schumacher disse...

Tudo muito encantador... Parabéns pelo privilegio de teres essas paisagens! Abraço, Silvia Regina Schumacher

majosilveiro disse...

**Silvia Schumacher**; Sempre em cima dos acontecimentos a Sílvia Schumacher é uma incondicional admiradora de Portugal, que, por simpatia está sempre atenta á mediocridade daquilo que faço. Muito obrigado Sílvia pela sua afeição; esta é um estímulo e um motivo de regozijo para mim.